domingo, 19 de dezembro de 2010

eu também tenho medo

" Eu também tenho medo,
mas não digo nada.
Gosto de sorrir para a vida e pensar que vai tudo correr bem, mesmo...
...quando os dias me trocam as voltas e chego à noite estoirada a casa, sem encontrar sentido às coisas."

MRPinto.


A.C.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

Eu sei exactamente

"Fico admirado quando alguém, por acaso e quase sempre

sem motivo, me diz que não sabe o que é o amor.

eu sei exactamente o que é o amor. O amor é saber

que existe uma parte de nós que deixou de nos pertencer.

o amor é saber que vamos perdoar tudo a essa parte

de nós que não é nossa. o amor é sermos fracos.

o amor é ter medo e querer morrer."


José Luís Peixoto

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

I'm taking a ride with my boyfriend

"We're flying high

Watching the world pass us by

Never want to come down

Never want to put my feet back down on the ground

See the stars, they're shining bright

Everything's all right tonight"


Smashing

A.C.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

A sabedoria é isto

"Pensar, ainda assim é agir. Só no devaneio absoluto, onde nada de activo intervém, onde por fim até a nossa consciência de nós mesmo se/ atola/ num lodo - só aí, nesse morno e húmido não-ser, a abdicação da acção competentemente se atinge.
Não querer compreender, não analisar... Ver-se como à natureza; olhar para as suas impressões como para um campo - a sabedoria é isto."


Fernando Pessoa

A.C.

sábado, 25 de setembro de 2010

little bird

She's like a little bird
She flies from A to B
To see what she can see
She's far away from me

We danced on the moon
We danced by the sea
That land of blue and gold
Is where we were free


Where we were free


The shiny blackest crow
Flew in to say hello
Though much to her surprise
He had two mouths for eyes
She understood his words
That crow was very pleased
He gave to her his wings
And now she is free
Now we are free


Goldfrapp


A.C.

domingo, 19 de setembro de 2010

já-quase-perdi-a-paciência-contigo-E-l-i-a-n-a

.l.-R-i-t-a

g-r-r-r-r-r

.l.-.l.-.l.-.l.


u-h-h-;D

P-O-R-C-A


K-I-S-S-M-Y-P-U-S-S-Y-M-Y-B-I-G-P-I-G

MAS-TU-FALAS-INGLES....

É-O-GOOGLE-TRADUTOR-MY-BESTFRIEND

sábado, 4 de setembro de 2010

Onde

"Onde os olhos se fecham; onde o tempo
Faz ressoar o búzio do silêncio;
Onde o claro desmaio se dissolve
No aroma dos nardos e do sexo;
Onde os membros são laços, e as bocas
Não respiram, arqueiam violentas;
Onde os dedos retraçam novas órbitas
Pelo espaço dos corpos e dos astros;
Onde a breve agonia; onde na pele
Se confunde o suor; onde o amor."


José Saramago


A.C.

sábado, 31 de julho de 2010

E se eu for uma princesa noutro planeta?



" E se eu for uma princesa noutro planeta? E ninguém deste planeta souber?

Aquela pergunta deixa-me arrasada. Quer dizer, a verdade não é isto?
Quem quer que sejamos aqui, podemos ser princesas noutro sítio.
Ou escritoras,
Ou cientistas.
Ou presidentes.
Ou que raio quisermos ser e que toda a gente diz que não podemos ser."


Carrie*

A.C

sábado, 24 de julho de 2010

Poder do Pormenor

Paula Ramos

"Ela compreendia o potencial de um acto simples, o poder do pormenor.

Ela sabia, por exemplo, que lembrar-se do aniversário ou a sua cor favorita podia ser a chave para lhe conquistar o coração e a seguir a mente."

terça-feira, 20 de julho de 2010

Sei lá

Jaison James


"- Tu pertences a um tipo de mulheres que só vivem a plenitude do amor na distância ou na impossibilidade. És aquilo a que eu chamo uma Mulher Impossível, porque amas com todas as tuas forças os homens que por uma razão ou outra não podes ter. (...)
(...)Para ti o amor é a própria luta pelo amor, não é uma construção nem uma edificação. Por isso não te casas, não crias as bases para ter uma família, e ser uma esposa exemplar. Mas estás certa, o teu encanto é justamente esse. E pelo mesmo tens a honestidade de não te mascarares por detrás de uma situação socialmente aceitável e de não embarcares num casamento de circunstância."

Margarida Rebelo Pinto
Sei Lá

A.C.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

o avô que quis ser estrela

Ninguém diga que está bem,é com cada uma.
O meu avô (o outro, o velhinho), decidiu ao fim de tantos anos fazer uma viagem, para ser sincera já andava desconfiada que havia ali qualquer ideia na cabeça que não queria contar.
Hoje de manhã decidiu partir, não disse o destino, apenas que queria ser uma estrela, não percebi bem, mas como me ensinaram que os "velhinhos" têm sempre razão, acho que não é caso para me preocupar.

Só espero que escolha um destino onde possa escrever-nos, ou ligar-nos. Quero ter notícias.

A.C.

domingo, 11 de julho de 2010

" Sei que aquilo que escrevo foi escrito antes,
como tudo o que fazemos
já foi feito há muito tempo,
antes de nós.


Tudo é assim na vida."

A.C.

segunda-feira, 5 de julho de 2010

já-mantiveste-o-nosso-blog-quase-sozinha

Fevereiro. A minha última publicação no blog. Quando o criamos a Rita já sabia que eu não ia postar um décimo das vezes dela. É uma partilha quase injusta, mas eu não tenho paciência. Para mim ter um blog é uma responsabilidade a que eu fujo quase sem me aperceber. Talvez por preguiça. Ou desinteresse. Ou por não ter nada a partilhar.

Nunca gostei de postar textos que não são meus. Mas eu gosto do que a Rita faz. E da forma subtil com que expressa através do encaixe de palavras de outros o que sente. Não tenho essa capacidade. Muito menos a vontade de o estar a mostrar aqui.
Rita, já-mantiveste-o-nosso-blog-quase-sozinha. Obrigada.
E.M.

terça-feira, 29 de junho de 2010

é tempo

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas,
que já tem a forma do nosso corpo,
e esquecer os nossos caminhos,
que nos levam sempre aos mesmos lugares.


É o tempo da travessia:
e,
se não ousarmos fazê-la,
teremos ficado,
para sempre,

à margem de nós mesmos"

Fernando Pessoa
A.C

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Insastifação

Esta insatisfação
Não consigo compreender



Porque eu só quero
Quem eu nunca vi

Porque eu só quero
Quem não conheci

Porque eu só estou bem
Aonde eu não estou

Porque eu só quero ir
Aonde eu não vou




Vou continuar a procurar
o meu mundo
o meu lugar.



A.C

sábado, 19 de junho de 2010

Não me dou à despedida

"Nunca parto inteiramente,
Não me dou à despedida
As águas vão simplesmente
Presas à sua nascente
É do seu modo de vida

Fica sempre qualquer coisa
Qualquer coisa por fazer
Às vezes quase lamento
Mas são coisas que eu invento
Com medo de te perder

Deixei um livro marcado
E um vaso de alecrim
Abri o meu cortinado
Fiz a cama de lavado
Para te lembrares de mim

Nunca parto inteiramente
Vivo de duas vontades:
Uma que vai na corrente,
A outra presa à nascente
Fica para ter saudades"

Manel Cruz

A.C.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

domingo, 6 de junho de 2010

Ponto de vista

O começo de uma história a dois,
bramburra33

ou um beijo de despedida?





A pressa de sair,
archlover

ou a vontade de chegar?






Uma hora à espera de alguém,
Nei Lima

ou 60 minutos consigo mesma?



É engraçado como tudo na vida pode ser visto de uma destas formas.

publicidade Gazela



A.C.

terça-feira, 1 de junho de 2010

"(...)
É não ter pão nem vinho,

só ver portas fechadas e pessoas hostis

e arrancar teimosamente do caminho

sonhos de sol

com fúrias de raiz.

É estar atado, amordaçado, em sangue, exausto

e, mesmo assim,

só de pensar gritar

gritar

e só de pensar ir

ir e chegar ao fim."


Armindo Rodrigues

A.C.

sábado, 22 de maio de 2010

Mantém-te.


" Um dia, o mais provável é tornares-te num chato, deixares de sair à noite e começares a levar-te a sério.

Nesse dia, vais começar a vestir cinzento e beje, pedir para baixar o volume da música e deixar a tua guitarra a apanhar pó.

Vais tornar-te politicamente correcto, socialmente evoluído, economicamente consciente.

Vais achar que tens de ir para onde toda a gente vai e assumir que tens de usar fato e gravata todos os dias.

Nesse dia, vais deixar de beijar em público, as tuas viagens serão mais vezes no sofá e dormirás menos ao rolento.


É oficial.

Vais entrar na idade do chinelo e deixar de ser quem foste até então.

Vais deixar de te sentar ao colo dos amigos e vais esquecer-te de como se faz um quantos-queres ou um barco de papel.

Vais tornar-te muito crescido e começar a preocupar-te com tudo e com nada e a não fazer nada porque "vai-se andando" e a vida é mesmo assim.

Vais dizer não mais vezes, vais ter mais medo, vais achar que não podes, que não deves, que tens vergonha.

Vais ser mais triste.


Aqui fica uma ideia: QUANDO ESSE DIA CHEGAR, NÃO LHE FALES."

Sumol


A.C

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Por qué no se ve lo evidente?

" Cada día, cada hora, cada momento, pasan cosas admirables en cualquier lugar donde nos encontremos. Lo que pasa es que no las vemos. Porque no tenemos los ojos educados para ver. (...) difícil es ver lo subterráneo, lo que está bajo la capa superficial de los hechos. “Lo esencial es invisible a los ojos”, dice Antoine de Saint-Exupéry. (...) Saber observar es tan difícil como necesario. Porque observar no es sólo mirar, es buscar. (...)
(...) Decía Bill Crosby: “No todos los ojos cerrados duermen, ni todos los ojos abiertos ven"."




http://blogs.laopiniondemalaga.es/eladarve/2008/01/26/no-todos-los-ojos-abiertos-ven/

A.C.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Qualquer um pode zangar-se.Isso é fácil.

Mas

zangar-se com

a pessoa certa,

na proporção certa,

no momento certo,

pelo motivo certo

e da maneira certa,

isso não é fácil."


Aristóteles

P.s.: O "não é fácil" não é sinónimo de impossível*


A.C.

quarta-feira, 31 de março de 2010

estar vivo é isto, é ser livre


"Quero andar de bicicleta por todos os lados,

fumar todos os charros que me apetecer,

dançar até às tantas

ver lugares que nunca vi,

conversar com gente diferente,

perder-me num mundo novo

acreditar que estar vivo É ISTO,

é ser livre,

é ter o mundo na mão

e fazer o que nos passa pela cabeça,

não pensar demais,

não ter medo de nada,

rir,

curtir,

viver a vida num momento,

Como se não houvesse amanhã."

Margarida Rebelo Pinto

A.C.

quarta-feira, 24 de março de 2010


"Emoções novas talvez para mim, um mundo diferente para além daqui.
vá diz-me lá, vem mostrar-me vou saber tudo destes estranhos como eu.
vem comigo ver como é, o meu mundo é bom de mais."

"Dá-me a mão, tenho o mundo para aprender."

A.C.


domingo, 14 de março de 2010

já passou, tu és capaz.

"Quando éramos pequenos e nos magoávamos habituámo-nos a ter a nossa mãe ou o nosso pai a dizer-nos "já passou".
Na maior parte das vezes, a dor que sentíamos não passava logo, ainda estávamos "a ver estrelas" e só nos apetecia berrar durante três horas ininterruptamente mas aquela frase actuava como se fosse um tranquilizante verbal. Significava que o trambolhão não tinha tido a importância nenhuma, que tínhamos caído mas íamos levantar-nos logo a seguir,que a dor fazia parte do passado.
O "efeito placebo" daquelas palavrinhas era tão poderoso que até já nem nos importávamos de cair mais 30 vezes logo a seguir. Sabíamos que ia estar sempre alguém por perto para dizer a frase milagrosa. O pior é que aquilo não é verdade, não estar sempre alguém por perto e, com um bocado de exagero à mistura, ninguém espera que aos 30 anos, os "crescidos" nos digam "já passou". É que agora os crescidos somos nós...
É a nossa vez de dizermos aos nossos filhos que "não faz mal",que "já passou". Mas confesse lá, aqui que ninguém nos ouve:naqueles momentos em que os trambolhões são tão grandes quanto inesperados, não gostava de ter alguém que lhe dissesse, mesmo que fosse muito baixinho, "já passou", "tu és capaz"? Capaz de se levantar, capaz de cair novamente, capaz de esperar, capaz de não ser capaz, capaz de ..."

Teresa D'Ornellas

A.C.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Já me apeteceu partilhar.


Todos os finais de ano, eu e a Rita escrevemos os nossos planos para o ano seguinte. Escrevemos no presente, porque quando voltamos a ler, os objectivos devem estar cumpridos.

Essa deve ser a nossa luta.

A Rita convenceu-me que a Lei da Atracção é uma verdade absoluta. E eu pensei que as coisas más que me acontecem poderiam, realmente, derivar de pensamentos negativos. Sempre me achei azarada.

Fiquei surpreendida quando percebi que todos os meus desejos de 2009 se realizaram. Mais do que isso, 2009 superou as minhas expectativas. Algo que nunca imaginei sentir. Sorrio cada vez que penso em tudo o que vivi. Na intensidade, na paixão, na liberdade. Na paz que despertaram em mim. Nas pessoas com quem me cruzei, nas respostas não obvias, na sede de saber e sentir. Sinto-me inspirada. Apetece-me viajar, mais do que nunca. E apetece-me partilhar.

Agora, acho que atraía o azar com o pensamento de que sou azarada.

Já engoli desculpas que não aceito e tolerei pessoas que não gosto.
Já falei da boca para fora e aprendi a calar-me e a ser tolerante.
Já fiz coisas que vão contra tudo o que eu acredito.
Já fui perdoada por coisas que eu não perdoaria.
Já me desiludi e já me surpreendi.
Já me senti em paz.
Já senti saudade.
Já chorei. Já amei.


Já vivi intensamente.


E.M.

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Vai onde te leva o coração.

"(...) Somos seres suspensos em bolas de sabão, que vagueiam felizes pelos ares; nas nossas vidas há um antes e um depois, e esse antes e depois são uma ratoeira para os nossos destinos, pousam-se sobre nós como uma rede se pousa sobre a presa(...)
O destino possuí todo o poder e esforço de vontade não passa de um pretexto(...)
Quando o caminho atrás de ti é mais comprido do que o que tens à tua frente vês uma coisa que nunca tinhas visto antes: o caminho que percorreste não era a direito mas cheio de encruzilhadas, a cada passo havia uma seta que apontava para uma direcção diferente; dali partia um atalho, de acolá um carreiro cheio de ervas que se perdiam nos bosques.
Alguns desses desvios fizeste-os sem te aperceberes, outros nem sequer os vistes; não sabes se os que não fizeste te levariam a um lugar melhor ou pior; não sabes, mas sentes pena. Podias fazer uma coisa e não fizeste, voltaste para trás em vez de seguir em frente.

E quando à tua frente se abrirem muitas estradas e não souberes a que hás-de escolher não te metas por uma ao acaso, senta-te e espera. Respira com a mesma profundidade confiante com que respiraste no dia em que vieste ao mundo, e sem deixar que nada de distraia, espera e volta a esperar. Fica quieta, em silêncio e ouve o teu coração. Quando ele te falar, levanta-te e vai para onde ele te levar."

Vai onde te leva o coração.
Susana Tamaro.


A.C


quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Dois lados do mesmo adeus

Caem como folhas
Lágrimas do seu rosto
Suavemente descem
Deixam-lhe o desgosto
Entre dois suspiros
Sopro-lhe, na face
Sem favor
Abre-se a janela
Tenta um disfarce

Aperta-me a mão
Ri por um instante
Deixo-me ficar
Deixo-me ficar

Nunca quis saber
Nunca quis acreditar
Que irias partir
Não podias cá ficar
Nunca quis escutar
E muito menos quis ouvir
O teu silêncio que avisava
A intenção de não voltar
Podes crer
Bem que me disseram
Para nunca me dar
A uma pessoa ou a um lugar
Podes crer
Se um homem nunca chora
De que servem estes olhos
Se não podem mais te ver
Queria ver
Queria saber
O que fazias tu
Que estás aqui a observar
Estás a ver
Estás a perceber
Pode ser que um dia
A gente volte a se encontrar

Agora embora,
Agora sem demora
Deixa-me ficar aqui sozinho para pensar
Agora agora
Que a minha alma chora
Como diz alguém
Vou me perder pra me encontrar

Esse choro triste
Desespero seu
Pra tentar dizer
Nada se perdeu
Pede-me que fique mais
Por um segundo eterno
Como se quisesse ter
O meu beijo terno

Aperta-me a mão
Ri por um instante
Deixo-me ficar
Só por esse instante


Donna Maria.

A.C.